Conseqüências de uma ressonância magnética no início da lombalgia aguda

Conseqüências de uma ressonância magnética no início da lombalgia aguda

A clínica da prática baseada em evidências para a dor lombar recomenda que a ressonância magnética fosse utilizada somente na presença de bandeira vermelha, não em pacientes com dor lombar aguda. Além disso, as diretrizes recomendam que realizar ressonância somente após um mês de tratamento especializado (durante o qual se experimenta a melhora espontânea dos sintomas em 50% dos casos).

Apesar de ser uma boa ferramenta de diagnóstico, a ressonância não é específica em dizer de onde está vindo a dor. Ela geralmente destaca várias anomalias que muitas vezes não se correlacionam com os sintomas, isso ocorre com diagnósticos de hérnia de disco e estenose espinhal presentes em 20-57% de indivíduos assintomáticos. Na dor aguda, esse exame não fornece informações úteis para a melhor escolha de tratamento.

O objetivo deste estudo foi examinar o impacto da ressonância magnética realizada nos primeiros 30 dias do início dos sintomas e os custos em pacientes com dor lombar aguda com ou sem presença de radiculopatia, em pacientes sem sinais de bandeira vermelha.

Aqueles que realizaram o exame de ressonância magnética precoce parecem ter tido um resultado pior em termos de incapacidade e aumento das despesas de saúde.

Os resultados deste estudo destacam que as consequências são significativas quando se faz uma ressonância magnética no início sem indicações.
Na maioria dos casos radiculopatia, o exame é solicitado para tranquilizar o paciente. Infelizmente, o resultado muitas vezes faz com que tenha um efeito oposto porque os pacientes desenvolvem uma sensação de incapacidade.

Este resultado reforça o conceito de que cedo ressonância magnética precoce, além de não acrescentar benefícios, pode levar a um resultado pior em termos de deficiência e procedimentos médicos desnecessários.

Veja a pesquisa na integra: Webster BS, Bauer AZ, Choi Y, Cifuentes M, Pransky GS. Iatrogenic consequences of early magnetic resonance imaging in acute, work-related, disabling low back pain. Spine (Phila Pa 1976). 2013 Oct 15;38(22):1939-46.http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23883826/